Ciência explica: o que é a paralisia do sono?
Pular para o conteúdo

Preso entre mundos: a ciência por trás da paralisia do sono

A paralisia do sono pode ser acompanhada por alucinações vívidas, tanto visuais quanto auditivas. Mas não há nada de sobrenatural no fenômeno.

Anúncios

paralisia do sono
Fonte: Freepik

Imagine o seguinte cenário: você acorda no meio da noite consciente, mas incapaz de falar ou sequer se mover. Preso entre o sono e a vigília, você se debate contra uma paralisia que te deixa à mercê de alucinações vívidas e sensações aterrorizantes. Essa é a realidade da paralisia do sono, um distúrbio que afeta cerca de 8% da população em algum momento da vida.

O fenômeno é de fato intrigante e muito assustador, levando algumas pessoas acreditarem que foram atacadas por alguma entidade sobrenatural. Mas o que diz a ciência sobre isso? É isso que você confere a seguir!            

Anúncios

O que é a paralisia do sono?

A paralisia do sono consiste em um distúrbio que se manifesta ao despertar, quando a pessoa se encontra consciente, mas impossibilitada de se mover ou falar. Essa experiência dura poucos minutos e, geralmente, acontece durante a fase REM do sono, conhecida por seus sonhos vívidos. 

Muitos relatam sensações de medo, presenças sinistras e alucinações durante esses episódios. Desse modo, durante a paralisia do sono, é comum experienciar alucinações intensas, que podem incluir tanto visões quanto sons.

Anúncios

Essas alucinações são tão vívidas que a pessoa pode sentir-se como se estivesse sendo observada ou até mesmo sufocada por uma presença sobrenatural.

Dessa forma, em algumas culturas, a paralisia do sono é explicada como a presença de fantasmas, demônios ou outras entidades malignas. Contudo, a ciência nos oferece algumas explicações interessantes para esse fenômeno.

Uma falha na comunicação cerebral

Em primeiro lugar, é fundamental compreendermos o ciclo do sono. Durante o sono REM, o corpo entra em um estado de paralisia natural. Isso ocorre para evitar que sonhos intensos e vívidos se transformem em movimentos físicos. O que poderia representar um risco para nossa segurança quando dormimos.

No entanto, às vezes, o processo de transição entre o sono e a vigília não ocorre de forma suave. Sendo assim, a paralisia do sono surge quando há um descompasso entre o despertar da mente e do corpo.

Desse modo, durante o sono, o cérebro envia sinais para os músculos relaxarem, evitando que você atue nos seus sonhos. Ao acordar, esses sinais deveriam ser desligados, permitindo o controle total do corpo.

No entanto, na paralisia do sono, essa comunicação falha, resultando em uma breve, porém desconcertante, experiência de imobilidade. Desse modo, por mais que estejamos conscientes, não conseguimos nos mover, tampouco levantar da cama.

Vale dizer que as causas da paralisia do sono ainda não são totalmente compreendidas. No entanto, alguns fatores podem aumentar o risco de ter um episódio, são eles:

  • Estresse;
  • Privação de sono;
  • Narcolepsia;
  • Sono irregular;
  • Ansiedade;
  • Depressão.

Como lidar com a paralisia do sono?

A sensação de estar acordado, mas incapaz de mover um músculo sequer, é de fato algo assustador. No entanto, existem maneiras eficientes de lidar com a paralisia do sono e minimizar suas consequências. Se liga aí!

1.   Mantenha uma rotina de sono regular

Manter uma rotina regular de sono, indo dormir e acordando em horários consistentes todos os dias, pode contribuir para regular o ciclo de sono e diminuir a incidência de episódios de paralisia do sono. Sendo assim, é recomendável manter essa prática mesmo nos fins de semana, estabelecendo assim uma constância nos horários de descanso.

2.    Evite estímulos antes de dormir

Recomenda-se evitar o consumo de cafeína, álcool e refeições pesadas algumas horas antes de ir para a cama. Isso porque esses alimentos podem perturbar a qualidade do sono e elevar a probabilidade de experimentar paralisia do sono.

Além disso, diminua a exposição a telas luminosas, como as de smartphones e computadores, antes de se deitar. Afinal, a luz azul emitida por esses aparelhos pode afetar negativamente a produção de melatonina, o hormônio do sono.

3.    Crie um ambiente de sono confortável

Antes de dormir, assegure-se de que o ambiente do seu quarto seja favorável ao sono, mantendo-o escuro, fresco e silencioso. Além disso, invista também em um bom colchão e travesseiros confortáveis para garantir um descanso adequado.

Aliás, você sabia que o colchão deve ser trocado a cada 7 a 10 anos? Isso porque durante esse período, o colchão pode perder sua firmeza e capacidade de sustentação. Tais perdas de propriedades podem afetar negativamente a qualidade do seu sono e contribuir para problemas de saúde, como dores nas costas e no pescoço.

4.    Pratique técnicas de relaxamento

Aprender técnicas de relaxamento, como meditação e yoga, pode ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade. Quando uma pessoa está sob estresse ou ansiedade, é comum que sua mente permaneça agitada, dificultando o relaxamento necessário para adormecer.

Já quando está ansiosa, experimenta preocupações persistentes, medos ou ataques de pânico durante a noite. Sendo assim, estes são fatores que contribuem para distúrbios do sono, como insônia, dificuldade para adormecer e paralisia do sono.

5.    Busque ajuda profissional

Caso a paralisia do sono esteja afetando consideravelmente sua qualidade de vida, é importante buscar a ajuda de um profissional de saúde. Um médico especializado em distúrbios do sono pode fornecer o diagnóstico e o tratamento apropriados para ajudá-lo a enfrentar essa questão da forma mais saudável possível.

E você, já passou por alguma experiência assustadora de paralisia do sono? Se este fenômeno acontece com frequência com você, experimente colocar as nossas dicas acima em prática. E se quer conferir mais curiosidades como essa, conheça o que são espaços limiares.  Será que você tem fobia?

Avatar

Gabriel Mello

Mestre em Filosofia e doutorando em Letras. Especialista em SEO, atua há 3 anos com planejamento, produção e revisão textual, garantindo a entrega de um conteúdo relevante e de impacto para e-commerce e e-business.