Samhain: descubra a origem do halloween!
Pular para o conteúdo

Samhain: a noite entre mundos

O Samhain é uma noite mágica de mistério, tradição e conexão com o outro lado.

Anúncios

samhain
Fonte: Freepik

Sob o véu da noite mais escura do ano, entre as brumas do outono e as folhas caídas, celebra-se Samhain. Uma data ancestral, com raízes celtas profundas, que vai além de um mero feriado para se tornar um portal entre mundos.

Assim, no dia 31 de outubro, a fronteira que separa o nosso mundo do sobrenatural se torna tênue. Quer saber o porquê? Então, fique até o final e descubra tudo sobre esse evento celta que pode ser uma das origens do halloween. Surpreenda-se!

Anúncios

O que é o Samhain?

Sob a luz da lua cheia, surge Samhain, uma celebração ancestral que transcende o tempo e o espaço. Mais do que um festival, Samhain é um portal que conecta o mundo dos vivos ao dos espíritos, convidando-nos a mergulhar em um universo de mistério, tradição e conexão com o outro lado.

Assim, com raízes profundas na cultura celta, Samhain era originalmente uma celebração pagã que assinalava o término das colheitas e o início da estação do inverno. Logo, era um tempo de agradecimento pela abundância da terra, mas também de preparação para os meses mais frios e escassos.

Anúncios

A data, 31 de outubro, era vista pelos celtas como o começo do ano novo, marcando um período de transição e transformação. Além disso, a crença era de que nessa noite o véu que separa os mundos se tornava mais tênue, possibilitando a comunicação com os ancestrais e outras entidades.

Dessa forma, as celebrações eram repletas de simbolismo e magia. Fogueiras eram acesas para iluminar a noite e afugentar os espíritos malignos. Inclusive, fantasias e máscaras eram usadas para confundir as entidades que vagavam livremente pelo mundo dos vivos.

Além disso, a adivinhação, leitura de tarô e outras práticas místicas eram comuns, a fim de desvendar o futuro e se conectar com a sabedoria ancestral. Assim, histórias e lendas eram contadas ao redor da fogueira, transmitindo a tradição oral e preservando a cultura celta.

Com o passar do tempo, Samhain se misturou com as tradições cristãs do Dia de Todos os Santos e do Dia das Almas. Então, a data ganhou um novo significado, mas manteve sua essência original de celebrar a vida, a morte e a conexão com o mundo espiritual.

Samhain e Halloween

Samhain, cujo significado em gaélico é “fim do verão”, inicialmente representava um festival pagão que assinalava o término das colheitas e o início do inverno. Para os celtas, constituía um período de gratidão, ao mesmo tempo em que envolvia a preparação para os meses subsequentes.

Com a introdução do cristianismo, Samhain entrelaçou-se com as práticas do Dia de Todos os Santos e do Dia das Almas. Consequentemente, ao longo dos séculos, os costumes e tradições associados ao Samhain difundiram-se globalmente, com destaque para a influência nos Estados Unidos.

De fato, a Igreja Católica instituiu o Dia de Todos os Santos, também conhecido como All Saints’ Day, em 1º de novembro, com o objetivo de cristianizar festividades pagãs preexistentes. No entanto, a véspera do Dia de Todos os Santos, denominada All Hallows’ Eve, ao longo do tempo, evoluiu gradualmente para se tornar o Halloween que é familiar hoje em dia.

Alguns pontos de relação entre as duas festividades estão as fantasias e máscaras. Portanto, tanto em Samhain quanto no Halloween, a prática de utilizar fantasias e máscaras tem o propósito de se ocultar dos espíritos, permitindo a participação na celebração de maneira lúdica e enigmática.

Além disso, as fogueiras, símbolo central de Samhain, continuam a ter um papel importante no Halloween, representando a luz que guia os espíritos e protege os vivos. Aliás, a tradição de pedir doces ou travessuras no Halloween deriva da antiga prática celta de pedir oferendas para os espíritos.

Por fim, não pode deixar de citar as famosas abóboras de Halloween, que originalmente era um nabo esculpido e representava a alma presa no purgatório. Hoje, é um símbolo clássico da data, usado para decoração e também culinária.

Quem são os celtas?

As origens dos celtas ainda são um mistério, mas acredita-se que tenham se originado na Europa Central por volta de 1200 a.C. A partir de então, migraram para diversas regiões da Europa, ocupando territórios que hoje correspondem a países como França, Grã-Bretanha, Irlanda, Espanha, Portugal e partes da Europa Central e Oriental.

Desse modo, os celtas não formavam um único império, mas sim uma confederação de tribos com características e costumes próprios. Com isso, cada tribo era liderada por um chefe e a sociedade era dividida em classes sociais.

Além disso, a religião celta era politeísta, com diversos deuses e deusas que representavam as forças da natureza. Sendo assim, os druidas, sacerdotes com grande conhecimento e poder, eram responsáveis por conduzir os rituais religiosos e transmitir a sabedoria ancestral.

Os celtas eram conhecidos por suas habilidades em metalurgia, tecelagem e cerâmica. Dessa maneira, sua arte era rica em símbolos e ornamentos, com destaque para os entrelaçados celtas, que representavam a interconexão de todas as coisas.

Em essência, o Samhain consiste em um momento de reflexão, conexão com o passado e abertura para o futuro. Você gosta de desvendar mistérios? Se sim, descubra quais são os segredos do Triângulo das Bermudas. Ficamos por aqui, até breve!

Avatar

Bárbara Luísa

Graduada em Letras, possui experiência na redação de artigos para sites, com foco em SEO. Meu foco é proporcionar uma experiência agradável ao leitor.